202104.23
0
1

Artigo da nossa sócia Aparecida Pagliarini publicado no Jornal Meio Norte (PI) em 23/04. Boa leitura!

LIDERANÇA E ÉTICA EMPRESARIAL

“Empresários que se portam de maneira ética são os motores que propulsionam o crescimento da humanidade, criando valores para todas as partes interessadas.”

Quando falamos de ética estamos falando de um dos pilares da governança corporativa que deve ser praticado por toda a organização, a partir do topo da gestão. Mas não estamos, necessariamente, falando de liderança. Realmente, nem sempre os gestores são líderes e nem sempre os líderes são gestores. Há diferenças, segundo a doutrina mais atual[1], como se verá.

Realmente,

  1. Líderes conquistam corações e mentes dos colaboradores; gestores estão voltados para estratégias de resultados e lucros;
  2. Líderes perguntam “quem é você”; gestores perguntam “o que você faz?”;
  3. Líderes procuram tornar a empresa humana e confiável, para que os colaboradores com ela se identifiquem; gestores não se importam se os colaboradores se sintam apenas uma peça na engrenagem da máquina programada somente para auferir lucros e resultados;
  4. Líderes inspiram nos colaboradores a responsabilidade, a ética, a cooperação e o comprometimento; gestores entendem os colaboradores como mais um recurso, ao lado de insumos e ferramentas de trabalho e, por isso, muitas empresas ainda têm na sua estrutura o departamento de “recursos humanos”.

Ou seja, liderança não se confunde com posição ou cargo. É um processo de inspiração e amadurecimento de todos com o propósito da empresa. Esse propósito deve estar muito claro, a partir da postura ética e comprometida da alta administração. Esse propósito de longo prazo dependerá da visão estratégica, de processos decisórios comprometidos com a perenidade do negócio que por vezes não sobrevive à terceira ou quarta gerações nas empresas familiares, porque os controladores não lideram e não desenvolvem e cuidam da cultura sadia da corporação, o que faz lembrar Peter Drucker: “Culture eats strategy for breakfast.”

Para quem ainda se questiona, liderança e ética estão intrinsecamente ligadas; cultura empresarial e ética estão intrinsecamente ligadas; governança corporativa e ética estão intrinsecamente ligadas; sustentabilidade e ética estão intrinsecamente ligadas.

Para lembrar sempre: bens morais e éticos criam coesão dos colaboradores com a empresa, inspiram credibilidade para as partes relacionadas, evitam conflitos de interesse, melhoram o processo decisório, alimentam lideranças porque o líder é sempre ético.

Para encerrar, a fala de Edgard Henry Schein[2]: “Líderes criam cultura, gestores vivem dentro dela.”


Aparecida Pagliarini, advogada, sócia fundadora do escritório Pagliarini e Morales Advogados Associados, consultora de governança corporativa, associada do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), coordenadora da Comissão de Ética do Sistema Abrapp/Sindapp, instrutora de cursos da Uniabrapp, colaboradora do Instituto Brasileiro de Previdência Complementar e Saúde Suplementar– IPCOM, autora do livro “ Manual de Prática e Recomendações aos Dirigentes das Entidades Fechadas de Previdência Complementar”.

[1] FRED KOFMAN, Liderança & Propósito – O novo líder e o real significado do sucesso; RJ, Harper Collins, 2018

[2] Psicólogo e professor do MIT, autor de vários livros sobre desenvolvimento organizacional

[fbcomments]